Revista Artéria X 2017-05-18T23:03:48+00:00

Project Description

arteriax-1280-2

colaboradores | ALBERTO OLIVEIRA | ALDO FORTES | ALEXANDRE AZEREDO | ALICE RUIZ | ANDERSON GOMES | ANDRÉ VALLIAS | ANNA BARROS | ANTONIO LIZÁRRAGA | ARNALDO ANTUNES | AUGUSTO DE CAMPOS | CARLOS RENNÓ | CÉLIA MELLO | CLÁUDIO DANIEL | CLEMENTE PADÍN | DANIEL SCANDURRA | DANIELE GOMES DE OLIVEIRA | DÉCIO PIGNATARI | DEMÓSTHENES AGRAFIOTIS | DINIZ GONÇALVES | DR. ÂNGELO MONAQUEU | DUMAS | EDGARD BRAGA | ELSON FRÓES | ERTHOS ALBINO DE SOUZA | EZRA POUND | FABIANA DE BARROS | FÁBIO OLIVEIRA NUNES | FELIPE PAROS | FERNANDO ANGULO | FERNANDO LASZLO | FREDERICO BARBOSA | FRIEDRICH NIETZSCHE | GASTÃO DEBREIX | GERTY SARUÊ | GIL JORGE | GLAUCO MATTOSO | GUSTAVO ARRUDA | GUSTAVO VINAGRE | HAROLDO DE CAMPOS | INÊS RAPHAELIAN | IVANA VOLLARO | JOÃO BANDEIRA | JORGE LUIZ ANTONIO | JÚLIO MENDONÇA | JULIO PLAZA | LARA WERNER | LENORA DE BARROS | LÚCIO AGRA | LYGIA DE AZEREDO CAMPOS | MARCELA TIBONI | MARIE ANGE BORDAS | OMAR KHOURI | PAULO DE TOLEDO | PAULO MIRANDA | PETER DE BRITO | PIPOL | PRISCILLA DAVANZO | RAFAEL TRABASSO | REGINA SILVEIRA | REGINA VATER | RICARDO COELHO | SONIA FONTANEZI | SORAYA BRAZ | TADEU JUNGLE | VANDERLEI LOPES | VINÍCIUS ALCADIPANI | WALTER SILVEIRA | ZÉLUIZ VALERO

ARTÉRIA chega ao seu nº 10, também em offset, contrariando expectativas: 1º a de que talvez nem mais saísse; 2º a de que, como era tradição, sofresse mudança substancial na forma (houve, apenas uma pequena diminuição do formato). Tudo indica que, das revistas que circulam no País, é a única aberta às experimentações e onde predomina a produção que valoriza a visualidade, os aspectos gráficos. Em grande parte mantém, também, colaboradores de outros números, sendo que alguns marcam presença desde o seu início, em 1975. E é um time que dá gosto: poetas e artistas plásticos que primam pela qualidade do trabalho que apresentam, o que faz com que seja ARTÉRIA uma publicação de suma importância no campo da criação artística. Ainda namorando a coisa gráfica, o suporte papel, ARTÉRIA continua em sua jornada que já dura trinta e cinco anos e que comportou diversos modos. Na REDE, não é preciso observar-se uma periodicidade – o que já se crê como obrigatório em mídia impressa – pois a publicação pode ser simplesmente crescente e mutante. Na mídia impressa e assumindo, mesmo que sem uma periodicidade regular, a forma de revista, chama a atenção para esse tipo de produção, que se preocupa com pesquisa e que, via de regra, é ignorada pelo sistema editorial de livros, periódicos e jornais. ARTÉRIA traz, portanto, um golpe de ar puro nessa atmosfera de mesmice que se observa em nosso meio dito literário e/ou artístico e um bocado de alegria para os que esperam da poesia um pouco mais que sequências esquisitas e/ou bizarras. Exatos 30 anos depois do lançamento de ZERO À ESQUERDA, na Paulicéia Desvairada. ARTÉRIA